Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Orvalho: turismo geológico e de montanha; férias primaveris ou outonais; reforma activa e saudável; e tudo num só lugar

Quinta-feira, 18.10.18

 

 

Visualizem montanhas esverdeadas atravessadas por rochedos claros e imponentes, como uma enorme coluna vertebral. Estamos no Orvalho.

Num desnível rochoso nasce a fraga da Água d'Alta, uma cascata saltitante. Este sítio geológico é visitado por muitos turistas que gostam de caminhadas na montanha.

O ar é limpo e fresco. Passando o monte da Nª Senhora da Confiança, temos o Mosqueiro com o seu miradouro e local de festas.

 

No vale em frente ao Mosqueiro, os Vales de Janeiro, um declive suave entre a estrada e a poética Rua dos Amores. Este terreno está a convidar quem gosta de montanha para lá construir a sua casa de férias (dá para 4 lotes), que pode ser alugada nas restantes semanas. 

O Orvalho é perfeito na Primavera e no Outono, e também no Verão, se for perto de uma piscina :)

Muitos casais já reformados optam por viver no campo, agrada-lhes o sossego e a possibilidade de caminhadas na companhia dos cães.

Finalmente, também se pode visualizar ali um pequeno empreendimento turístico, com piscinas, courts de ténis e campo de jogos.

 

Sim, perceberam bem, o terreno está à venda. Este é o meu primeiro ensaio de marketing imobiliário :) Que também é marketing turístico (turismo geológico e de montanha).

O melhor  marketing é o de quem passou férias nesse lugar, percorreu esse lugar, e em diferentes períodos do ano.

 

Estando rumo ao sul, não posso acalentar o sonho de ali ver um pequeno empreendimento turístico, a minha escolha, com uma piscina para adultos e uma piscina para crianças. De um dos lados dois courts de ténis e um campo de jogos polivalente: volley e basket.

Gostava de ver aquele lugar habitado, seja por turistas seja por casais e famílias. Casinhas brancas, como são as de Orvalho. 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Ana Gabriela A. S. Fernandes às 13:55

A importância do geomonumento Água d'Alta no desenvolvimento turístico de Orvalho - Oleiros

Domingo, 06.05.18

 

águad'alta8.jpg

 

A Água d’Alta era uma das propriedades preferidas do meu avô Jaime Dias, onde ia frequentemente fazer piqueniques com a família. 

De referir que Jaime Dias foi um empreendedor inovador do Orvalho nos anos 30 e 40, nos sectores da indústria (lagar hidráulico dos mais modernos, moagem e uma empresa de camionagem) e comércio (mercearia). 

Além disso, muito contribuiu para o desenvolvimento do Orvalho (ex.: estradas de acesso) e apoiou muito a comunidade. 

Morreu num acidente de automóvel em 1949 e os negócios foram decaindo a partir daí. No entanto, as propriedades ficaram, hoje na posse da minha mãe, Maria Alice Dias de Azevedo, como a Água d'Alta.

 

A Cascata das Fragas da Água d’Alta (Oleiros) é um geomonumento que faz parte de um geopark, neste caso a Geopark Naturtejo que, por sua vez, faz parte do European Geoparks Network e tem o apoio da UNESCO.

 

A Junta de Freguesia do Orvalho construiu os passadiços, que infelizmente arderam em Agosto último, mas não teve a delicadeza de informar a minha mãe da sua inauguração. Em vez disso, pressionou-a para vender a propriedade por um valor ínfimo.

 

O valor de uma propriedade não é apenas definido pela sua área, mas também e sobretudo, pela sua localização e, no caso da Água d'Alta, pela sua importância estratégica na região.

A propriedade da Água d’Alta, com os seus cerca de 4 hectares, é actualmente o ex libris da região e o maior impulsionador do seu desenvolvimento turístico (geoturismo e ecoturismo).

 

Esperamos que a Câmara Municipal de Oleiros reconheça que a nossa família não tem sido tratada com equidade relativamente aos outros munícipes de Orvalho (e posso prova-lo com diversos factos e situações), e finalmente apresente à minha mãe uma proposta justa e proporcional ao valor real da propriedade da Água d’Alta.

 

 

Este post foi publicado n' A Vida na Terra.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Ana Gabriela A. S. Fernandes às 22:24








comentários recentes



links

coisas à mão de semear

coisas prioritárias

coisas mesmo essenciais

outras coisas essenciais

coisas em viagem


subscrever feeds